quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

你的天空之门‏ - A tua porta do céu

Agradecimentos à minha namorada pela tradução do meu poema A tua porta do céu (你的天空之门‏) para o chinês.

在黑夜里,我寻找太阳
因为它温暖我安慰我
我用冰冷的目光
仰望天空
你的天空之门
我想打开这扇我没有钥匙的门

在云彩上,我看到全世界
那个我为了得到你而放弃的世界
雪一片片的飘落
雨像血一滴滴落下
打湿了我的梦
想感觉你日出般温暖的梦

从天空坠落,我该如何回到你身边?
在我的世界里
我们的回忆会消失
当我再次打开天空之门
你留给我什么?
是那道燃烧着我的思念的火焰

太阳在宇宙的另一边呼唤我
唤醒我去寻找你
经过那些星星
眼泪在脸上流淌
而你灿烂的笑容
照耀着我的心

你的天空之门打开
我感觉到你
我再次爬到你身边
我的汗水和血液结合在一起
化成冰块,一片片的刺伤我
但也阻止不了我想见到你的幸福和快乐

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

Macau sã assi

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Benfica de Macau pronto para o campeonato da bolinha 2014

Foi apresentado o novo equipamento que o Benfica de Macau vai usar. O patrocinador é o Rio Hotel.
No campeonato de futebol de 7 deste ano, o Benfica de Macau está no grupo A, juntamente com o FC Porto, o Sporting, o Lam Pak, o Ching Fung, o Lai Chi, o Pau Peng e o Taxi Chi Iao. No grupo B estão Ka I, Monte Carlo, Polícia, Sub-23, Wing Lei, Meng Ian, Ngan Ieng e Lam Ieng.

quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Pódi, nam pódi?

Este é um daqueles textos que metem nojo e que eu por vezes muito gosto de escrever. Desta vez o assunto é Macau, a minha terra, e aquilo que muita gente que vive na minha terra, que é Macau, diz sobre Macau porque é aquilo que pensa sobre Macau, a antiga Cidade do Nome de Deus que hoje se chama Região Administrativa Especial de Macau da grande República Popular da China.
Pois bem. Cabe-me o direito de criticar os que criticam Macau. O jornal Tribuna de Macau, liderado por um tal José Rocha Dinis, um tuga que já reside em Macau há um porradão de anos, um socialista convicto que usa o seu jornal como um meio de propaganda socialista sem se importar com o facto dos seus leitores poderem sentir-se incomodados com isso - ok, é verdade que em Macau ainda reina uma espécie de liberdade de expressão, mas não me parece que fazer propaganda ao Partido Socialista seja algo muito saudável quando o que está em causa é a exclusidade desse mesmo partido (então e eu que voto ou votava no CDS-PP não tenho o direito de ver no citado jornal referências ao CDS-PP porquê, pá?) - tem, o jornal, que já deixei de falar do José Rocha Dinis, na sua última página uma espécie de rubrica intitulada "O que falta em Macau?" que serve para que as pessoas entrevistadas, tanto portuguesas como chinesas ou gente doutras nacionalidades, dêem as suas opiniões sobre Macau, o que a cidade precisa, o que deveria ter ou fazer, etc. etc. A generalidade das pessoas queixa-se do mesmo: casinos a mais, demasiada poluição, falta de jardins, falta de espaços para as crianças, falta de hospitais, preços das casas e das rendas, blá blá blá.
Ontem ia no carro com um colega meu que é um português que está há mais de 30 anos em Macau. Na viagem queixava-se ele a torto e a direito do trânsito e da maneira como principalmente os chineses da mainland conduzem, sem respeitar nada nem ninguém. Era hora de ponta. E o tempo, chuvoso, também não ajudava. Lembrei-me de desabafar dizendo que quem está mal que se mude. Ok, não me levem a mal. Eu, que regressei a Macau no ano passado, também me queixava imenso disso e daquilo. Mas aprendi com o tempo que em Roma há que ser romano. Sim, eu também não gosto de muita coisa que vejo em Macau. Também não concordo com a ganância que dita o surgimento de novos casinos como se já não bastassem os que já temos por cá, com a tal falta de patriotismo e de camaradagem entre a comunidade portuguesa aqui residente e cujo problema já foi focado algumas vezes por algumas personalidades, com a falta de qualidade do sistema de saúde, com o excesso de gente, com a falta de civismo de muitos mainlanders (atenção que eu digo "muitos" e não "todos", pois generalizar é quase sempre muito mau), com o facto de haver padrinhos e afilhados que se protegem uns aos outros a nível profissional e não só, com os preços exorbitantes das casas e das rendas, etc. O problema é que eu salientar isso, que é apenas uma constatação tão minha, incomoda e irrita. É isso mesmo, mete nojo. Que me importa se o queixoso já cá vive há um porradão de tempo? As coisas agora estão como estão, não estão? Que sugerem as pessoas que se sentem mal em Macau mas que continuam a viver por aqui? Já sei: escrever para a rubrica "O que falta em Macau?" do jornal Tribuna de Macau. Precisam de desabafar, é isso. O Chui Sai On deve ter conhecimento de todos estes problemas. E ele vai ser reeleito. E os problemas vão continuar. E Macau vai continuar a ser habitado (ou habitada? Há quem escreva como se Macau fosse uma mulher) por imensa gente. A Região Administrativa Especial de Macau não vai voltar a ser a Cidade do Nome de Deus de Macau. O passado é passado. Há que seguir em frente. E o que temos agora é isto.
Que nojo que acabei de meter com isto que eu acabei de escrever. Eu pelo menos sou sincero: estou aqui em Macau porque aqui há trabalho e eu quero ganhar dinheiro. Se podia fazê-lo numa cidade com menos poluição, menos gente, mais hospitais e menos casinos? Poder podia. Mas não era a mesma coisa.

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

O grande erro dos detractores do Estado Novo

O grande erro dos detractores do Estado Novo é esquecer-se do ponto de partida.
Assim, aos que acusam o Estado Novo de ter, por exemplo, uma sociedade com baixos níveis de desenvolvimento social e económico, a resposta que se dá é o ponto de partida caracterizada pela miséria total e absoluta deixada pela I República. Em 1926, Portugal tinha um PIB equivalente a 28% do PIB da Europa mais rica. No fim do Estado Novo o PIB já era de 60%. 40 anos depois da revolução de Abril, o PIB continua na mesma.
Outro exemplo: ao fim de 40 anos de democracia os índices de escolarização estão hoje de acordo com os padrões europeus. Voltamos ao ponto de partida: o Estado Novo encontrou um país com 70% de analfabetismo e deixou-o com menos de 30%. Ou seja, foi uma questão de tempo. Se o Estado Novo tivesse continuado, os níveis de escolaridade seriam, pelo menos, iguais aos de hoje, embora seja de admitir a possibilidade de estarem até melhores devido ao grau de exigência de então.
A resposta do ponto de partida aplica-se a muitas outras coisas quando quiserem comparar o Estado Novo com os tempos actuais.

Informação útil

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Quebrou-se finalmente uma maldição que já durava há 10 anos

1.ª jornada da Liga ZON Sagres 2014/15:
Benfica 2 X 0 Paços de Ferreira

sexta-feira, 15 de Agosto de 2014

15/08/14

quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

Que saudades que eu tenho deste bichano

Em Dezembro poderás chatear-me, Nero.

Ah, vinde todos à Europa...

... para que ela seja destruída.